vais e vens

tão inconstante

como as aves migratórias

que dão voltas e ao voltar

trazem novas velhas histórias

cresces desces sobes vês

o que se passa comigo

és para sempre boomerang

o mais belo e o mais antigo

luminosa companhia

breve mas intemporal

pura e simples abundância

pessoal

universal

sem saber se faz sentido sem olhar a soluções sem sentir e sem pensar sem segredos nem sossego sem sequer supor eu sonho

sem apelo nem agravo

Dizem por aí que tu

simbolizas a alegria,

a pureza, a inocência,

começar de novo, o sol.

Dizem que és feita de flores,

que sabes guardar segredos,

que és mais forte que dragões,

que dás mais luz que um farol.

Eu digo que nos encantas

e nos adoças a vida.

Dou por mim tão curiosa:

quem serás tu, Margarida?

portas abertas para outras vidas

e em cada um dos outros uma parte de nós

e em nós uma parte de cada um dos outros

abrimos os olhos e as palavras e a cabeça e o coração

deciframos os pedaços coloridos os espelhos

roda-se o caleidoscópio e tudo fica diferente

mas as mesmas cores os mesmos gestos

os mesmos temas nas memórias de quando éramos mais novos

tão parecidos tantos planos para o futuro

parte-se o caleidoscópio e nos espelhos estão os outros

estamos nós

roda-se o caleidoscópio e tudo fica diferente

novas cores e outros gestos

estranhos temas nas memórias de quando éramos mais novos

irreconhecíveis planos para o futuro

roda-se o caleidoscópio e tudo fica

tão igual.

tão triste

por saber que ainda agora

partiste

que quando te vi da última vez

me viste

e com poucas palavras calmamente

ouviste

e com essa atenção de abraço amigo

sorriste

e agora ficam das tuas mãos grandes

as saudades

e esta ideia firme de que lhes montarás guarda

sólida constante fiel enorme.

é que abril está em liberdade

com todas as letras

mas a liberdade é bem maior que abril

bem maior

este que nos faz passar abril em casa

e é assim que a liberdade e a alma

saem hoje mesmo à rua

Fruto, tecido ou cidade;

quanto a esta, capital,

a mais antiga do mundo,

5000 anos de história,

e hoje em dia história acesa.

O tecido até deu azo

a adjectivo de dez letras,

com quatro AA, por acaso,

e o fruto, bela surpresa,

torna mais viva a memória

se lhe deres mais que um segundo,

se o comeres natural,

com tempo e curiosidade.

Tudo tão tapado,

tecto, truz, telhado,

tomaras tu ter

tal traço trinchado

totalmente teu.

Travessa talhada,

tolhida, tranzida,

trazes tradição

transcendente também.

Tens tempo, tens tela,

tens tinta tão tua,

tens tralhas, tens trela,

tens truques tamanhos,

tens talvez tomilho,

terás tu tesouros?

Terás teorias? Terás trinta tias?…

Talvez tenha troco.

Numa gota de água em Marte

pode haver um mundo inteiro

onde nós vemos deserto,

já que a vida aos nossos olhos

será sempre à nossa imagem,

miragem a céu aberto;

mas se a nós nos ocorresse

espreitar a tal gota de água

com um microscópio de mestre,

podia muito bem ser

que nos espreitasse de volta

um micro-extraterrestre.

nesse caso dá um toque

pode ser que eu não me lembre

e também tu não te esqueças

de acordo com o que dizem

ser ainda mais que o norte

pode ser que às vezes nuvens

apareçam lá em baixo

mas que corra tudo bem

e que nós não esmoreçamos

pelo menos é o que eu acho

nalguns dias de mais chuva

em qualquer caso não sei

se o que eu posso incentivar

chega a ser apetecível

sei que não é infalível

e admiro a circunstância

de ser tão completamente

novidade e redundância.